De Graça Recebestes, de Graça Dai

De graça recebestes, de graça daí.

Mesmo no contexto imediato esta frase não diz o que a maioria dos crentes pensam que ela diz. Pois muitos crentes afirmam equivocadamente que Jesus se referia à salvação pela pregação do Evangelho, mas não foi a isso que Jesus se referiu. Vejamos:

E, indo, pregai, dizendo: É chegado o reino dos céus.

Curai os enfermos, limpai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demônios; de graça recebestes, de graça dai. (Mateus 10:7,8).

Jesus se dirigiu aos seus 12 apóstolos, aos quais primeiramente lhes concede poder. 

Deu-lhes poder sobre os espíritos imundos, para os expulsarem, e para curarem toda a enfermidade e todo o mal. (Mateus 10:1).

Judas Iscariotes, aquele que o traiu, também recebeu este poder (Mateus 10:4).

O que eles receberam de graça foi o poder, e por isso Jesus lhes disse: Curai os enfermos, limpai os leprosos, ressuscitai os mortos, expulsai os demônios; de graça recebestes, de graça dai.

Mas porque não pode ser uma referência às salvação pela pregação do Evangelho:

1- Judas não havia recebido a salvação, e não havia sido limpo pela palavra.

Veja o que Jesus disse sobre Judas:

Ora vós estais limpos, mas não todos. Porque bem sabia ele quem o havia de trair; por isso disse: Nem todos estais limpos. (João 13:10,11).

Jesus se referiu a Judas como o filho da perdição (João 17:12).

2- Jesus afirmou que naqueles dias o Reino de Deus era tomado à força, e os que usam de força se apoderam dele. (Mateus 11:12.). 

Mas o poder que os apóstolos receberam de Jesus foi recebido de graça, e por isso eles deveriam dar gratuitamente a cura aos enfermos, a limpeza aos leprosos, a ressurreição aos mortos, e a expulsão  dos demônios às pessoas possuídas.

3- O próprio Cristo recebia doações em seu ministério. 

A Bíblia afirma que Judas era ladrão e, era o responsável pela bolsa. Ou seja, Judas era o tesoureiro, e aproveitava está posição para roubar as doações ao ministério de Cristo (João 12:6).

A Bíblia também afirma que Joana, mulher de Cuza (encarregado de negócios de Herodes); Susana; e MUITAS OUTRAS mulheres que, com os seus próprios recursos, contribuíam para o sustento de Jesus e dos apóstolos. (Lucas 8:3).

Portanto, a frase "de graça recebestes, de graça daí" nada tem a ver com a pregação do Evangelho que é um ofício, e como tal deve ser remunerado. E Paulo recebia e ensinou que é certo pagar duplo honorário para aquele que ensina a sã doutrina e prega o Evangelho. 

Paulo também afirmou que os demais apóstolos, os irmãos do Senhor Jesus e até Pedro levavam suas esposas como acompanhantes nas viagens missionárias pagas pelas igrejas (1 Coríntios 9:5).

A Bíblia diz “aqueles que pregam o evangelho, que vivam do evangelho” (1 Coríntios 9:14). Quem trabalha para a igreja merece ser sustentado pela igreja. Isso significa ter o suficiente para comer, beber, se vestir, pagar as despesas da casa e sustentar sua família (1 Coríntios 9:3-5).

Tanto no Velho como no Novo Testamento, desde os sacerdotes e levitas até o próprio Jesus, os líderes espirituais eram sustentados pelos crentes. Mesmo Paulo, que se orgulhava de não usar esse DIREITO, foi sustentado pela igreja de Filipos durante algum tempo (Filipenses 4:18).

Por isso Paulo explicitou o que pensava sobre este assunto:

 E o que é instruído na palavra reparta de todos os seus bens com aquele que o instrui. (Gálatas 6:6)

Tanto Cristo como Paulo endossaram a máxima de que todo trabalhador é digno de salário.

Os presbíteros que governam bem sejam estimados por dignos de duplicada honra, principalmente os que trabalham na palavra e na doutrina; Porque diz a Escritura: Não ligarás a boca ao boi que debulha. E: Digno é o obreiro do seu salário. (1 Timóteo 5:17,18).

É muito ruim quando se faz uma leitura superficial do texto. Jesus afirmou:

Mateus 10:8 - De graça recebestes, de graça dai.

Mateus 10:10 - O trabalhador é digno do seu sustento.

Ora, os apóstolos estavam sendo enviados para pregar o Evangelho, o que a Bíblia e Jesus reconhecem como um ofício a ser remunerado. Então, o que os apóstolos deveriam dar de graça era de fato o poder que receberam para curar enfermos, limpar leprosos, ressuscitar mortos, e expulsar demônios das pessoas possuídas.

Cristo sempre tratou os seus servos como trabalhadores, aos quais Ele afirmou que são dignos de receber seus sustento:

A colheita é grande, mas os TRABALHADORES são poucos. Portanto, peçam ao Senhor da colheita que mande TRABALHADORES para a sua colheita. (Lucas 10:2).

Mas, além da leitura superficial, não fazem a leitura dentro do contexto imediato, e muito menos do contexto amplo do texto.

Em Mateus 10:9,10 Jesus ordena aos seus apóstolos para que naquela viagem missionária não levassem nem ouro, nem prata, nem cobre em seus cintos; nem nenhum saco de viagem, nem túnica extra, nem sandálias, nem bordão; pois o trabalhador é digno do seu sustento.

Mais tarde Jesus revoga as ordens dadas em Mateus 10, e dá novas ordens aos seus apóstolos:

Então Jesus lhes perguntou: "Quando eu os enviei sem bolsa, saco de viagem ou sandálias, faltou-lhes alguma coisa? " "Nada", responderam eles.

Ele lhes disse: "MAS AGORA, se vocês têm bolsa, levem-na, e também o saco de viagem; e se não têm espada, vendam a sua capa e comprem uma. (Lucas 22:35,36).

Por que Jesus revogou as ordens dadas em Mateus 10, e manda os seus discípulos comprarem até espadas?

Porque agora é guerra. Tudo precisa ser feito pela salvação das pessoas. A ordem é para irmos pelos caminhos e valados e OBRIGA-LOS a entrar, para que a casa do Senhor fique cheia. (Lucas 14:23).

Veja como Paulo encarava esta guerra:

É verdade que alguns pregam a Cristo por inveja e rivalidade, mas outros o fazem de boa vontade.

Estes o fazem por amor, sabendo que aqui me encontro para a defesa do evangelho.

Aqueles pregam a Cristo por ambição egoísta, sem sinceridade, pensando que me podem causar sofrimento enquanto estou preso.

MAS, QUE IMPORTA? O IMPORTANTE É QUE DE QUALQUER FORMA, SEJA POR MOTIVOS FALSOS OU VERDADEIROS, CRISTO ESTÁ SENDO PREGADO, E POR ISSO ME ALEGRO. DE FATO, CONTINUAREI A ALEGRAR-ME. (Filipenses 1:15-18).

Porque todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo.

Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? e como crerão naquele de quem não ouviram? e como ouvirão, se não há quem pregue? (Romanos 10:13,14).

E como serão enviados se a igreja não pode receber dinheiro para enviá-los? E como serão enviados se não podem ser sustentados?